LEIA TAMBÉM

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou nesta quarta-feira (18) que incluiu o advogado da Precisa Medicamentos, Túlio Silveira, na lista de investigados formais pela comissão.

Mais cedo, Renan já havia incluído nessa lista o deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo Bolsonaro na Câmara.
Silveira presta depoimento nesta quarta-feira (18), mas evitou responder a maior parte das perguntas. Amparado por um habeas corpus, invocou seu direito ao silêncio.

continua depois da publicidade

continue lendo

Ao justificar sua decisão de torná-lo investigado, Renan elencou vários fatores, como o "silêncio constrangedor", os indícios de participação na negociação da vacina Covaxin e suas óbvias ligações com outros investigados.

Além disso, Renan aponta que o advogado não apresentou um instrumento de procuração para justificar que apenas advogava para a Precisa e não era funcionário ou tenha participado de negociações. "O depoente não tinha escritório até dois dias antes da assinatura do contrato [da Covaxin]", disse o senador.