LEIA TAMBÉM

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apontou nesta quinta-feira (19) uma contradição no depoimento do sócio-administrador da Precisa Medicamentos, Francisco Emerson Maximiano.

Na primeira parte do depoimento, Renan questionou a respeito da reunião de Maximiano com o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Gustavo Montezano. O encontro teria sido intermediado pelo senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ).

Maximiano então respondeu que se tratava de um projeto de internet para o Brasil, da empresa Xis Internet Fibra. Renan questionou se a Xis transferiu recursos para a Precisa Medicamentos, mas o depoente respondeu que não.

continua depois da publicidade

continue lendo

Após algumas horas, Renan retomou o assunto e apontou um documento fiscal que mostra repasse da empresa para a Precisa Medicamentos. O relator, no entanto, não pediu providências, como solicitar a prisão do depoente.

"Queria dizer que encontra-se em poder dessa CPI o registro de uma transferência de R$ 640.444,52 entre oito de novembro de 2020 e 16 de abril de 2021 feito da Xis exatamente para a Precisa, diferente do que respondeu o depoente ao interrogatório", disse Renan.