LEIA TAMBÉM

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira, 25, que a decisão do presidente Jair Bolsonaro de revogar os decretos de posse e porte de armas mostra que o governo "compreendeu que esse é o melhor caminho". O deputado também afirmou que uma lei sobre o tema dará mais garantia para as mudanças que venham a ser feitas nas atuais regras.

"O governo compreendeu que é o melhor caminho para que não pareça que é um movimento contra o governo, contra quem defende o uso de arma mas é um tema muito difícil, muito polêmico", afirmou Maia.

Enquanto o deputado falava a jornalistas na chegada ao Congresso, o governo anunciou a revogação. De acordo com o parlamentar, a alteração das regras para colecionadores, atiradores desportivos e caçadores é o único ponto que tem consenso no Congresso e nas assessorias legislativas sobre a constitucionalidade de ser decidido por decreto. Para ele, vários outros pontos que haviam sido incluídos nos dois textos do governo apresentavam inconstitucionalidades.

continua depois da publicidade

continue lendo

Maia defendeu ainda a maior garantia legal das mudanças para posse e porte se forem feitas por projetos de lei, já que, futuramente, essas leis não poderia ser revogadas por um próximo presidente. "O decreto vale hoje e depois, em 2023 vem um presidente que é contra a tese do atual presidente e derruba o decreto da noite para o dia. Então, uma lei fortalece até a posição daqueles que tem, em vários temas relacionados às armas, posição de defesa", disse.

De acordo com Maia, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, já o havia avisado sobre a revogação dos decretos e a possibilidade de novas regras serem encaminhadas ao Congresso via projeto de lei.

Com informações do site Notícias ao Minuto