LEIA TAMBÉM

A Rússia e a China manifestaram forte reação ao teste de lançamento de um míssil de cruzeiro terrestre feito pelos Estados Unidos (EUA) no domingo (18). Esse tipo de míssil havia sido banido pelo agora extinto Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos informou, na segunda-feira (19), que havia executado, com sucesso, o teste de lançamento do míssil, que voou por mais de 500 quilômetros antes de atingir o alvo.

Ontem, o vice-chanceler da Rússia, Sergey Ryabkov, declarou que os EUA realizaram um teste que havia sido "rigorosamente regulado pelo tratado" até duas semanas atrás. Ele disse que a Rússia está preocupada porque os Estados Unidos parecem estar determinados a aumentar o seu "potencial desestabilizador".

continua depois da publicidade

continue lendo

Ryabkov disse ainda que esses testes não podem ser conduzidos sem a preparação prévia necessária, o que provaria claramente que os Estados Unidos estavam trabalhando no desenvolvimento de tecnologias militares por um longo período, em antecipação à sua saída do tratado.

Em entrevista na terça-feira, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, afirmou que o teste provou que o verdadeiro objetivo de Washington em sair do tratado era o de poder realizar ao máximo testes de mísseis avançados, além de buscar uma supremacia militar unilateral.

Com informações da Agência Brasil