LEIA TAMBÉM

Please enter banners and links.

Como previsto em informação divulgada pelo Focus, o pragmatismo dos governadores petistas tende a imperar na agenda eleitoral. Mais ainda se depender de Camilo Santana, o governador petista politicamente devotado a Ciro Gomes. Tanto que Camilo já assume a tese de que Lula não será candidato, que o PT deve compor aliança com o PDT e que Fernando Haddad (PT) deve ser o vice de Ciro Gomes.

Vejam o que o governador disse ao Estadão: “O desejo, a vontade nossa, e da grande maioria do povo brasileiro, é o Lula presidente. Desejar é uma coisa, a realidade é outra. A realidade, e estou convicto disso, é que não acredito que vão deixar o Lula ser candidato. E nós vamos estender isso até quando? Vamos prorrogar isso até quando? A partir do momento que isso acontecer, acaba o PT, talvez, ficando isolado. Essa é minha preocupação”.

Mais: “Há quase dois anos defendia que Haddad fosse vice do Ciro ou vice-versa. Só acho que Ciro é uma pessoa preparada, que defende princípios e políticas de esquerda desse País. É inteligente, pensa o País e se credenciou para se colocar como uma das opções (…). Não sendo Lula, defendo que o nome seja o do Ciro e que o PT indique o vice já no primeiro turno, para que a gente possa construir e ter tempo para pavimentar, para consolidar uma candidatura forte nessas eleições de 2018”.

faça login para continuar lendo

RECOMENDADAS

Quando perguntado se apoiará Ciro independentemente da decisão do PT, Camilo disse o seguinte:

“Estamos aguardando esse diálogo. O próprio partido sabe da minha relação com o Ciro, com o Cid, uma parceria, uma relação política muito forte. É uma pessoa em quem acredito. Estou na perspectiva de construir uma aliança ainda no primeiro turno. E vou trabalhar para isso, independente de ser o PT na cabeça e o PDT na vice, ou vice-versa.

Com informações do site Focus.jor.br