LEIA TAMBÉM

Deputado Ferreira Aragão sugere polícia só para prender “político ladrão”. Foto: Máximo Moura

A criação de uma polícia legislativa, específica, e destinada apenas para “prender político ladrão” foi apontada como uma alternativa, pelo deputado Ferreira Aragão (PDT), para liberar o efetivo “mais capacitado” a atuar contra a criminalidade. “Não é preciso ser muito treinado e capacitado para prender velhos ladrões”, diz Aragão.

A solução contra a criminalidade, na opinião de Ferreira Aragão, também passa por alterações na legislação. “Infelizmente, a maioria dos políticos só está preocupado com o próprio enriquecimento”, disse, ressalvando que a Assembleia Legislativa é composta por homens e mulheres vocacionados para a política e tratando o “mandato com muita responsabilidade”.

A sugestão foi dada durante pronunciamento, na última quinta-feira (21), no plenário da Assembleia Legislativa, quando o parlamentar tratava da evolução do narcotráfico no País. Segundo ele, “lamentavelmente” as facções criminosas vêm invadindo todas as regiões e ditando leis no Brasil.

Violência
Na avaliação do parlamentar, não haverá solução para a violência crescente, sem a intervenção das Forças Armadas. Ferreira Aragão citou que, no estado do Amazonas, a facção nominada Família Norte, expulsou da região a do Primeiro Comando da Capital, originária de São Paulo, sem nenhuma intervenção das forças policiais. “Toda a cocaína distribuída no País vem do Norte, que tem pequeno contingente de polícia rodoviária federal e de agentes federais”, ressaltou.

continua depois da publicidade

continue lendo

Paco
O deputado ainda alertou para a iminência de uma nova e mais nociva droga ingressar no País. Segundo ele, esse entorpecente, de nome paco, “que tem até veneno de rato misturado”, já entrou no Uruguai e Argentina. “Agora vai entrar no Brasil e acabar com o restinho da coisa”, previu.

Fortaleza
O cenário, na visão de Ferreira Aragão, também se repete em Fortaleza. Ele alertou que no bairro de Serviluz, quando alguém é morto, não se recorre mais à Polícia ou a Justiça.”É o chefe da gang, que é buscado para resolver o crime. E vão lá fazer justiça com as próprias mãos”, acrescentou.

Acuado
A maior parte da responsabilidade pela escalada da violência, na visão do deputado pedetista, cabe ao presidente da República, que “está acuado, mais preocupado em se defender do que em promover a solução dos problemas da sociedade”. Ao mesmo tempo, Ferreira Aragão alega que há gente que faz de conta que não está sabendo o que se passa no País, enquanto o narcotráfico tem dinheiro domina todas as áreas.

Risco
Ferreira Aragão disse que a sua posição está colocando, inclusive a própria vida em risco, mas, apesar do perigo, não vai parar de denunciar a ação dos traficantes. “Não vou fugir do meu destino. Temos de enfrentar o crime antes que se acabe tudo”, pontuou.

Com informações do OE