LEIA TAMBÉM

Produtos como leite, frutas e verduras já estão faltando em supermercados cearenses. A greve dos caminhoneiros, que bloqueia rodovias, já afeta o mercado. De acordo com Gerardo Vieira, o presidente da Associação Cearense de Supermercados (Acesu), a situação é crítica e comparada “ao dia em que Terra parou”.

A Acesu conta com cerca de 400 estabelecimentos associadas, entre Fortaleza e interior, e todos são afetados, conforme Vieira. “Fornecedores não estão entregando. Temos cerca de 20 a 30 caminhões de entrega e nenhum chega e nem sai por conta do bloqueio”, afirma o presidente.

Nesta manhã, o SindiCarnes do Ceará também já divulgou risco de desabastecimento em frigoríficos. “Nós dependemos muito da estrada. Com essa paralisação, estamos totalmente comprometidos”, avalia Gerardo Vieira.

continua depois da publicidade

continue lendo

Questionado sobre a existência de um “plano de contingência” no caso de os alimentos acabarem, o titular da Acesu afirmou que a solução é “fechar as portas”. Com a decisão da Associação Brasileira de Caminhoneiros de só parar a greve com a publicação da isenção do imposto sobre o diesel no Diário Oficial da União, a possibilidade da extensão dos protestos é alta.

“Leite e hortifrutigranjeiros estão começando a acabar, eles que são esses produtos de emergência, que todo mundo tem em casa”, indica o presidente. Para amanhã, caminhoneiros convocaram greve geral e avisaram do bloqueio total das rodovias cearenses.

 

Com informações do O POVO online