LEIA TAMBÉM

Os principais indicadores de criminalidade apresentaram queda no mês de agosto em todo o estado. Balanço divulgado hoje (25) pela Secretaria de Segurança Pública mostrou que houve redução nos casos de homicídios, no número de vítimas de homicídios e nas ocorrências de latrocínios [roubos seguido de morte], de estupro e de roubo. No entanto, houve aumento no número de casos de roubos de carga e de furtos em geral.

Em relação aos casos de homicídios, a queda foi de 14,18% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado, com o registro de 242 casos no mês, o menor da série histórica, iniciada em 2001. O número de vítimas de homicídios dolosos também caiu, passando de 295 para 265 pessoas mortas, o menor número da série histórica.

Os casos de latrocínio caíram 23,08% em agosto, passando de 26 para 20 casos. Já os estupros, apesar de terem caído em todo o estado, cresceu 30,26% na Grande São Paulo. Em todo o estado, os casos de estupro somaram 934 ocorrências, a segunda vez no ano em que o indicador cai. O indicador também caiu na capital, passando de 233 casos para 190 em agosto deste ano. No entanto, na Grande São Paulo, o número subiu e somou 198 casos.

“Esse indicador vem causando grande desassossego na sociedade. Esse mês tivemos uma redução nesse indicador em todo o estado. Vamos continuar executando nossas campanhas visando à continuidade [da redução] nesse indicador”, disse o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho.

O total de roubos em geral somou 28.451 casos em todo o estado, queda de 9,75%. Os furtos em geral, por outro lado, subiram, com o registro de 45.272 casos, aumento de 2,71% na comparação com agosto do ano passado.

continua depois da publicidade

continue lendo

Já o roubo de cargas, uma das grandes preocupações da secretaria, voltou a crescer. Em agosto, foram 1.012 ocorrências, crescimento de 10,36%. O número não atingia mais de mil ocorrências desde março deste ano, quando somou 1.053 casos. “O roubo de carga é um indicador que ainda não conseguimos abaixar”, disse o secretário, que ressaltou que a secretaria vem estreitando as relações com o setor de cargas para tentar evitar esse tipo de crime.

Segundo o secretário, só em agosto foram presas 70 pessoas em flagrante pelo crime de roubo de cargas. No ano, foram 417 presos. O secretário também falou que 45 cargas foram recuperadas em agosto – 409 durante o ano. “Esse tipo de crime vai efetivamente começar a cair”, falou ele.

Chacina

Durante entrevista para comentar os números de criminalidade de São Paulo, o secretário falou também sobre a condenação de dois policiais militares e de um guarda-civil pelas chacinas ocorridas em agosto de 2015 nas cidades de Osasco e de Barueri. A sentença do júri popular foi dada na última sexta-feira (22). “É um julgamento que coroou o trabalho que levou muito tempo e envolveu a Corregedoria e o DHPP [Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa]. Foi um trabalho muito desgastante. Todo julgamento desse tipo tem um efeito na sociedade e não só nas instituições. Foi um avanço, um reconhecimento de um trabalho técnico”, disse o secretário.

Maioridade penal

Indagado sobre o que pensa sobre a discussão da proposta de reduzir a maioridade penal no país, o secretário respondeu que a lei poderia avançar “com mais facilidade” se houvesse alteração no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), “aumentando, de forma significativa, o tempo de internação do adolescente que comete uma infração penal”. “Isso teria um efeito de segurança mais prático”, disse ele.