LEIA TAMBÉM

Em quatro décadas, a rádio se consagrou como prestadora de serviços e principal meio de comunicação para a população amazônicaMarcello Casal Jr/Arquivo Agência Brasil

A Rádio Nacional da Amazônia foi homenageada hoje (27) por seus 40 anos em sessão solene do plenário da Câmara dos Deputados. A sessão foi convocada pela Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e Direito à Comunicação com Participação Popular com o objetivo de destacar o serviço prestado pela emissora aos estados da Amazônia Legal.

Considerada o maior canal de integração da região norte, desde setembro de 1977 a Rádio Nacional alcança ouvintes residentes em locais de difícil acesso. Em quatro décadas, a rádio se consagrou como prestadora de serviços e principal meio de comunicação para a população amazônica.

“[É um] veículo de comunicação muito importante para nós povos indígenas do Amazonas. Uma integração que se deu em um momento muito difícil, onde nós não tínhamos acesso a esta comunicação e as informações necessárias dos grandes centros. Esta rádio começou a fazer parte da vida e do cotidiano dos nossos povos, então, surge não só a voz dos grandes centros, mas o retorno da voz da floresta, daqueles que queriam também buscar esta informação necessária”, disse Alberto França, representante do Povo Terena e coordenador da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib).

Segundo os parlamentares requerentes da homenagem, o objetivo do evento é destacar a necessidade de investimento e desenvolvimento do projeto de comunicação que privilegie vozes diferentes das transmitidas primordialmente por meios tradicionais da mídia.

“É importante que a gente defenda esse instrumento de comunicação pública para aquela população, que não tem acesso a outros meios de comunicação, em lugares onde não há internet e televisão”, disse o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ).

continua depois da publicidade

continue lendo

O deputado Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) ressaltou o papel estratégico da Rádio na promoção da sóciobiodiversidade e potencialidades hídricas, ambientais e culturais da floresta e seus povos. “Esta Amazônia precisa ter voz e estaa rádio precisa ser objeto de planejamento visando seu fortalecimento”.

Além dos parlamentares, a sessão contou com a presença de representantes da Federação NAcional dos Jornalistas (Fenaj), do Intervozes, do Sindicato de Jornalistas do Distrito Federal, da jornalista Tereza Cruvinel, ex-presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e funcionários da empresa, entre eles Mara Régia, apresentadora do programa Viva Maria, da Rádio Nacional. O diretor de tecnologia da EBC, José de Arimatéia.

Os convidados lamentaram que a celebração dos 40 anos da rádio ocorra enquanto ela está sem sinal e denunciaram outros problemas enfrentados pela empresa e o que consideram como “desmonte da comunicação pública”. O diretor de tecnologia da EBC, José de Arimatéia,considerou a homenagem legítima, lembrou a importância da rádio também para a questão da segurança nacional. Arimateia disse ainda que este ano a empresa sofreu um bloqueio nas contas e que a direção está comprometida no esforço de liberar parte do orçamento para pagar as despesas e resgatar o investimento necessário na infraestrutura a partir do ano que vem.

Desde 20 março, a rádio está fora do ar depois que uma tempestade de raios atingiu a subestação do parque transmissor de alta potência da EBC, responsável pela transmissão do sinal da rádio a partir de Brasília para toda a região amazônica. A empresa informou esta semana que um estudo está sendo feito para reconstrução do parque de transmissão e retomará a transmissão plena da Rádio em no máximo 60 dias.